Às vezes

em

Às vezes eu não sei de onde vem, Mas chega como uma onda avassaladora, É uma tristeza enorme que aos poucos, Vai corroendo minha alma.

Às vezes não tem uma razão de ser, Mas existe e cresce em mim, Assume o comando do meu corpo, E me sinto uma estrangeira em meu lar.

Me traio e me machuco, Não me permito ser ou fazer, E é cada vez mais difícil explicar, Que simplesmente não consigo controlar.

Às vezes tem um bom motivo, E aparece como um convidado indesejado, Mas me é tão familiar que me questiono, Não sou eu que quero viver assim?

Às vezes vem de dentro, E fica martelando por dias, Até já consigo sentir seus efeitos físicos,É tanta dor no peito que não lembro mais como era antes.

Me traio e me machuco, Me perco e me esqueço, Mas às vezes…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s